Mundo Financeiro

Já se pegou pensando “Como começar a investir“?

Se sim, você está no lugar certo. É sobre isso que vamos falar hoje.

Estamos começando mais um ano. Como é muito tradicional, é o momento que muitos refletem sobre as metas.

Mas, mais importante do que ter dezenas de metas impossíveis, é pensar em objetivos concretos.

Ou seja, tenha sempre em mente ideais tangíveis e realizáveis. Aja com constância e tenha foco para alcançá-los.

Acredito fortemente que seguir isso fará com que você alcance aquilo que planejou no início do ano e, com isso, encerre o ano com chave de ouro.

 

Começar a Investir: a meta do ano de 2021

Se ainda não tem como meta economizar e, consequentemente, investir seu dinheiro, passou a hora de colocar isso como uma de suas prioridades.

Investir sua grana é essencial para o futuro que está construindo. 

Somente com seus recursos sob controle você irá conseguir acumular um patrimônio significativo, podendo alcançar seus objetivos e conquistar a tão sonhada independência financeira.

Meta de 2021: começar a investir

Mas como economizar? 

Muita gente sempre se questiona: como economizar se cada dia que passa a grana está mais apertada?

Se sua dúvida é essa, temos um guia que vai te mostrar “8 Dicas Infalíveis para Economizar Dinheiro”. É só clicar aqui para baixá-lo.

Tenho certeza de que a partir do momento que começar a colocar em prática, você vai ver os resultados e já poderá começar a colocar esse dinheiro para render.

Dessa maneira, os resultados aparecerão mais rápido do que você imagina!

Afinal, como diz o ditado “Dinheiro parado é dinheiro perdido”.

Quando começar a investir?

Já! Se você ainda é apegado à ideia de que só é válido investir grandes montantes, esqueça!

Um grande patrimônio é muitas vezes construído aos poucos, com disciplina para investir de forma recorrente!

Primeiro ponto para você que vai dar os primeiros passos nos investimentos é invalidar a ideia de que só é possível investir grandes quantias. Isso é um grande mito!

Baniu esse mito da sua vida? Então, continue sua leitura e confira os 6 passos essenciais para começar a investir.

 

1. Saiba tudo o que entra e o que sai

É essencial que você saiba de forma clara quais são as entradas e as saídas do seu salário. Ou seja, o quanto ganha e o quanto gasta, quais são os gastos recorrentes e quais são os gastos eventuais. 

Em relação às saídas, é muito importante que diferencie os gastos essenciais, como aluguel, energia, supermercado, escola etc. e os gastos não essenciais (que são aqueles que talvez consiga economizar).

A partir do momento que tais valores ficarem mais claros, você irá conseguir economizar, ser mais organizado e planejar sua vida financeira nos próximos meses e anos.

Então, anote tudo! Para te auxiliar nisso, você pode utilizar tabelas online, tabelas impressas ou, até mesmo, apps específicos para controle financeiro.

 

2. Faça um planejamento financeiro

Já sabe tudo que entra e sai. Então, você sabe a quantia aproximada que vai conseguir economizar mensalmente. 

Desse valor, separe uma quantia para emergências e outra quantia que não pretenda mexer por um bom tempo.

Mas por que isso? 

No mundo dos investimentos, temos inúmeros tipos de ativos que podemos investir: ações, fundos, debêntures, LCI etc. Cada um deles têm diferentes rentabilidades, riscos, bem como prazo para resgate

Você pode escolher diferentes ativos, mas é interessante que o dinheiro para emergências esteja alocado em investimentos com alta liquidez e baixo risco como, por exemplo, no Tesouro Direto ou em um Fundo DI. Ou seja, ativos que o prazo de resgate seja pequeno.

 

3. Defina em qual instituição financeira irá investir

Já tem definida a instituição financeira onde fará seus investimentos? Você pode escolher bancos tradicionais que têm cada vez mais produtos de investimentos (além da tradicional poupança) para oferecer aos seus clientes. 

Mas também você pode optar pelos bancos digitais e corretoras de investimentos.

Se você ainda não tem uma conta, geralmente os cadastros são todos online. São rápidos e bastante seguros. Mas lembre-se sempre de pesquisar bastante sobre a instituição escolhida.

Além disso, fique atento às taxas cobradas. Muitas instituições hoje já isentam seus clientes de diversas taxas como custódia e corretagem para seus investimentos. Portanto é muito importante pesquisar para não pagar taxas abusivas sobre seus investimentos.

Pesquisando como começar a investir

4. Entender o seu perfil como investidor

Tão importante quanto manter um fluxo de caixa positivo é entender com precisão o seu perfil de investidor. Somente assim será possível escolher os investimentos com prazo, nível de risco e características adequadas aos seus objetivos!

No mundo dos investimentos temos basicamente 3 perfis de investidores:

– Conservadores

São aqueles que dão prioridade a aplicações mais seguras, muitas vezes com maior liquidez e com baixa ou nenhuma oscilação.

Este tipo de investidor busca primordialmente proteger seu capital no longo prazo e não aceita oscilações grandes na sua carteira;

– Moderados

Também prezam por segurança, mas buscam diversificar seu patrimônio também com aplicações com algum nível de risco. Eles entendem que os retornos da carteira como um todo também deverá ser maior a longo prazo.

São os investidores que também visam proteger seu patrimônio a longo prazo, mas que buscam retornos superiores à taxa básica de juros.

– Arrojados

São os investidores mais propensos a tomar risco. Costumam possuir um maior conhecimento dos produtos e do funcionamento do mercado e buscam multiplicar seu patrimônio por meio de investimentos com maior risco. Este investidor sabe que o mercado pode passar por fortes oscilações no curto prazo, porém entende que o retorno de suas aplicações também deverá ser maior no longo prazo. Suas carteiras podem perder um dinheiro considerável, mas os ganhos podem ser muito maiores desde que os investidores mantenham-se posicionados.

Mas como saber o seu perfil? 

Temos algumas perguntas básicas que ajudam na definição de perfil. Entretanto, ele será de fato definido na hora do seu cadastro na abertura de conta da instituição financeira escolhida. Na grande maioria das vezes, as instituições utilizam algoritmos para definir o seu perfil.

Principais perguntas:

  • Qual seu nível de conhecimento em relação ao mercado financeiro;
  • Quais produtos você tem experiência em aplicar;
  • Por qual prazo você pretende deixar seus recursos aplicados;
  • Você investiria em produtos de maior risco para ter mais rentabilidade.

 

5. Esteja antenado ao cenário econômico

Saber o que está acontecendo no Brasil e no mundo em relação ao cenário econômico é essencial para que tome decisões nos seus investimentos de forma mais assertiva.

Quando você está por dentro, você fica mais preparado para cenários de mais incertezas. Além disso, consegue aproveitar as oportunidades e alavancar ainda mais a sua carteira de investimentos.

Então, fique sempre atento(a). Se ainda não tem esse hábito, para 2021 e para a sua vida, coloque como meta iniciar seu dia estudando um pouco sobre mercado financeiro.

Você pode se atualizar/estudar assistindo aos telejornais, lendo notícias e também por meio de apps, como, por exemplo, o TradMap.

6. Faça um bom curso introdutório

Tenho certeza de que você já entendeu os aspectos primordiais para começar a investir sua própria grana, não é mesmo? Mas que tal aprender sobre tudo isso e mais um pouco de forma aprofundada, totalmente didática e com especialistas?

Venha com a gente dar os seus primeiros passos no mundo financeiro, aprendendo de forma muito simples e prática como investir seu dinheiro de maneira consciente e de acordo com o seu perfil e, com isso, atingir objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo. 

Matricule-se hoje mesmo no curso ao vivo e online “Primeiros Passos nos Investimentos”.

Venha aprender de forma prática:

  • Fundamentos de economia;
  • Políticas governamentais;
  • O valor do dinheiro no tempo;
  • Investimentos de baixo risco;
  • Fundos de investimento convencionais;
  • O mercado de ações;
  • Como montar a sua carteira de investimentos.

No término, você terá em mãos conhecimentos sólidos que vão garantir sua independência e eficiência na hora de escolher os melhores investimentos de acordo com o seu perfil.

Clique aqui para saber todos os detalhes desse curso.

 

Artigo escrito pela colaboradora Roberta Rodrigues Rocha.

Mundo Financeiro

Ver todos os posts

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *