Mundo Financeiro

7 pecados capitais do Mercado Financeiro

Sabe quais são os 7 pecados capitais do profissional do mercado financeiro?

Hoje é dia de falar de temas que podem te fazer perder muitas oportunidades e não é isso que ninguém quer, não é mesmo?

Existem erros que podem ser perdoados, mas os 7 abaixo são pecados capitais no mundo financeiro. Por isso, aprenda quais são, não os faça e, caso tenha feito, sempre há tempo para mudar! É só correr atrás do tempo perdido!

Vamos lá?

Conheça quais são os 7 pecados capitais do mercado financeiro

1. Ignorar as informações de cenário político e econômico

Digo que muitos profissionais vivem em uma bolha chamada passado, achando que os mesmos comportamentos de antes vão continuar levando-as para o futuro e não é bem assim!

Não estar atualizado significa que você estará menos preparado que seus colegas e os concorrentes, perdendo muitas oportunidades. O tema político nunca esteve tão ligado ao econômico, qualquer ação reflete rapidamente, por exemplo, as bolsas de valores sentem
rapidamente qualquer mudança político econômica e já refletem a percepção dos outros sobre o tema.

Por isso, saber o que está acontecendo e o cenário te farão um profissional completo e, certamente, para os seus clientes, empregador e colegas de trabalho, será um recurso valioso que está atento ao crescimento.

2. Displicência em relação as certificações

Infelizmente vejo gestores de agências com CPA-10, às vezes sem graduação, que passaram muitos anos nos cargos e quando levam um baque da vida, sofrendo uma demissão, tem uma dificuldade tremenda de se recolocarem no mesmo cargo, caindo vários cargos por uma
displicência que cometeram, por algo que não consideraram importante e foram levando, sempre deixando para amanhã, como bons brasileiros.

Hoje, é preciso muito mais, é preciso se destacar, se mostrar muito competente para a vaga proposta, por isso, olhar e agir no
presente, pensando no futuro nunca foi tão importante.

3. Ignorar a necessidade do segundo idioma

O segundo idioma por muito tempo não era usado, exceto, para os clientes estrangeiros que poderiam ter contato com os grandes bancos.

Hoje o cenário mudou, os bancos de investimentos, Fintechs, bancos estrangeiros e etc., precisam de profissionais que falem um
segundo idioma, vai além da necessidade de conversar com os seus clientes, mas de acompanharem com parceiros e dentro da empresa o mundo afora, que tanto tem para contribuir e explorar.

Sem uma segunda língua, você pode ficar para trás na concorrência que a cada dia melhora a sua qualificação.

4. Olhar somente os grandes players

Muitos tem uma obsessão em entrar nos grandes bancos, os mais populares, focam somente nisso, não olham ao redor, ficam parados e esperando a oportunidade de o sonho chegar. Mas o que será que realmente é trabalhar na área bancária financeira hoje?

Os grandes bancos são uma opção, mas não a única.

Existe um mar de oportunidades a serem exploradas, oportunidades reais, não passageiras. Não foque somente em uma opção, pois se ela vier a falhar seu mundo pode desmoronar, olha para tudo e não deixe de trabalhar em uma ótima empresa somente porque seu sonho era outro.

Mude seus conceitos!

5. Ignorar a força das cooperativas

Um belo engano é ignorar as cooperativas. Apesar do desenvolvimento que o cenário bancário/financeiro passa, os clientes, por outro lado, estão buscando cada vez mais proximidade em suas operações que exigem um grau de relacionamento que, de fato, a empresa venha conhece-lo, se importar e trabalhar a favor dele.

As cooperativas estão crescendo e, se isso está acontecendo, é porque os clientes veem valor nessa atividade. Não olhe as cooperativas
como um plano B, até que o seu grande banco te chame. Esse mercado crescerá muito e aquele que surfar nessa onda agora, no futuro (bem próximo), estará andando nas nuvens.

6. Acreditar que apenas ser “vendedor” é o suficiente

A era do vendedor já passou, agora estamos na era do consultor. Consultor é aquele que busca conhecer o cliente, conhecer o mercado, saber todos os produtos e serviços da sua carteira e que, consequentemente, consegue enxergar a melhor opção para o seu cliente, que vá ao encontro das suas necessidades e planos para o futuro.

Vender por vender, bater meta no mês e orientar o cliente a cancelar no próximo já passou e digo que passou há muito tempo. Ainda
dá tempo de entrar nessa era, olhar o cliente como o centro do seu negócio e buscar o melhor para ele, sempre!

7. Não se atualizar ou compreender as novas tecnologias

Agora tenho que saber programação de computador e etc?

Quando falo de tecnologia não estou dizendo que você precisa conhecer o detalhe do detalhe, mas precisa falar a mesma
língua do cliente.

O cliente busca nos meios tecnológicos opções que venham facilitar o seu dia a dia. Por isso, ficar por fora porque não é a sua praia, vai te fazer afundar!

Você não precisa ser um expert, mas precisa compreender o contexto que a tecnologia está inserida no mercado financeiro, como ela pode otimizar muitos processos e te dar tempo para focar naquilo que realmente é importante, o cliente!

2019 promete, vamos nos capacitar para extrair o máximo do ano que se iniciará.

 

Você também irá gostar

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.