Olá pessoal da Mundo Financeiro, espero que estejam bem.

Vamos para mais uma semana de lutas e abordando um assunto que é de grande peso quando falamos em um mundo tão digital, a forma como construímos nossa imagem nas redes sociais.

As redes sociais são usadas para compartilhar os momentos pessoais com os familiares, amigos e colegas, mas além disso, cada vez mais as empresas também estão utilizando para encontrar os candidatos e/ou para conhece-los melhor na ‘vida como ela realmente é’. Quando digo rede social, nem estou abordando o LinkedIn, que é uma rede específica para o mundo profissional, mas outras redes que são usadas no nosso dia a dia e somente para fins pessoais.

Com as redes sociais a distância ficou menor e o tempo de contratação passou a ser bem mais rápido. O processo seletivo também ficou mais assertivo com a análise completa do profissional, identificando se está alinhado as competências esperadas pela empresa e como ele se posiciona na vida pessoal.

Um colega recrutador já me confidenciou que na entrevista a pessoa demonstrou uma personalidade, mas ao ser contratada e se relacionar com os seus colegas, comprovou o contrário. Isso pode acontecer. Com um vídeo, uma foto, um comentário pessoal ou político, o recrutador pode entender melhor o perfil do profissional, por isso, sua postura na rede social pode ter impacto direto na seleção.

Você pode até pensar que é injusto as empresas olharem uma rede que deveria ser apenas social, mas a culpa não é da empresa ou da rede social e sim da postura do profissional. Perfis com críticas sem soluções, opiniões ou piadas preconceituosas, entre outros, são descartados, por mais que o profissional seja capacitado. Se você quer se expor livremente nas redes sociais, talvez seja melhor pensar em deixar seus posts em modo privado, aparecendo apenas para seus contatos.

Tenho uma dica para dar: não cometa excessos nas suas redes sociais.

Mostre aquilo que vai acrescentar algo bom ou compartilhar um momento prazeroso. Já ouviu falar que política, religião e futebol não deveriam ser discutidos? Pois bem, esse pensamento continua sendo atual e muito valioso nas nossas interações.

Você não deve mudar quem é, ser outra pessoa, só deve ter cautela em postar tudo que pensa, sente ou quer, tem coisas que deveriam ficar guardadas para nós ou serem compartilhadas com pessoas do nosso círculo mais íntimo.

Continue buscando sua recolocação profissional e mostrando verdadeiramente quem é, certamente tem uma vaga que se encaixa no seu perfil e no momento certo vai aparecer.

Aqui também aplicamos a inteligência emocional. Nem tudo que quer/deseja, deve compartilhar. Você tem o direito? Tem, mas toda ação pode gerar reações. Mesmo no Linkedln, muitos aplicam o ódio gratuito (na verdade não há qualquer coisa que justifique isso) e ao recrutador, este comportamento pode dar margem para pensamentos muito decisivos.

Concordando ou não, é um fato. Muitos julgam sim pelo lugar que come, pelo lugar que frequenta, pelo que escreve, pelo que defende, pelo que torna exposto ao mundo, seja algo grandioso ou um mero programa de final de semana.

Boa sorte e vamos em frente!
Até semana que vem.

Ronaldo Cerqueira

Ronaldo Cerqueira

Consultor de Carreiras Especialista em Mercado Financeiro | Uma Vida dedicada aos Bancos | Paixão por Finanças e Pessoas
www.ronaldocerqueira.com

Ver todos os posts

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *