Mundo Financeiro

As certificações do Mercado Financeiro – Parte I

Vamos bater um papo sobre as certificações do Mercado Financeiro?

Uma das preocupações que acompanho diariamente nas minhas redes sociais dos entrantes neste mundo vasto do Mercado Financeiro é em relação às certificações.

“Quero entrar (ou entrei). E agora, qual eu faço?”

E para desespero geral da nação a resposta é: depende.

Uma certificação pode ser pré-requisito necessário para exercício de determinada função ou pode ser uma certificação de distinção.

Por exemplo, para trabalhar em uma agência bancária de varejo e exercer algumas funções, você obrigatoriamente precisa ter, no mínimo, a certificação CPA-10.

Já para trabalhar com planejamento financeiro, você não precisa ter nenhuma certificação. No entanto, ter o CFP® chancela seu amplo conhecimento sobre o tema.

Anbima

A maior instituição certificadora para o mercado financeiro é, sem dúvida, a Anbima.

Até dezembro de 2020, ela já tinha 621.551 profissionais certificados. Além disso, ano a ano, o número de inscritos e certificados vem subindo consideravelmente.

Conheça algumas certificações do Mercado Financeiro!

CPA-10

É aquela básica, você tem que ter!

Ou ela ou mais, nunca menos!

Aqui temos mais de 438 mil profissionais que podem prospectar e vender produtos de investimentos diretamente ao público.

CPA-20

Em 2010, quando eu comecei trabalhar no Mercado Financeiro, quem tinha era Rei, hoje nem tanto…

É aquele, tá bacana, mas pode ser mais.

Aqui temos mais de 166 mil profissionais que podem atender varejo de alta renda, private banking, corporate e investidores institucionais.

CEA

Aqui a conversa já começa ficar mais interessante. Sabe aquela história de Walt Disney “Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor.”?

São mais de 12 mil certificados. Parece muito, mas quando olhamos o mercado, por exemplo, o Itaú tem mais 96 mil colaboradores, de acordo com o site do banco na data de hoje. Esta certificação te torna apto(a) a prestar consultoria em planejamento de investimentos.

Conheça o Preparatório CEA

E por fim, as certificações para a carreira de gestão.

Neste mês, a Anbima reformulou a certificação CGA e a dividiu em 3 certificações:

CFG

Certificação que atesta os conhecimentos dos fundamentos de gestão.

Ela não é obrigatória para nenhuma função tampouco habilita o profissional a ser gestor de fundos, mas é pré-requisito caso você não tenha CAIA ou CFA. Então se você quer um dia ser gestor, esse é o caminho…

CGA

Aqui é aquela cadeira mais desejada da asset, o mandachuva, o popstar. Para fazer a prova obrigatoriamente você tem que ter uma das certificações: CFG, CAIA ou CFA.

Com esta certificação você pode atuar com gestão profissional de recursos de terceiros em fundos de investimentos de renda fixa, ações, cambial e multimercado. Puro glamour!!!

E por último, mas não menos importante:

CGE

Essa é para o mandachuva de produtos estruturados.

Assim como a CGA, você precisa ter CFG, CFA ou CAIA como pré-requisito e assim que você tiver seu CGE aprovado pode gerir FIPs, FIDCs e FIIs.

E aí? Qual delas você já tem? Qual você está buscando?

Eu como boa “tarada” por certificação já estou estudando para próxima! E você?

 

Leia a continuação desse artigo: As certificações do Mercado Financeiro – Parte II

Números de profissionais certificados no Brasil

número de profissionais certificados no Brasil nas principais certificações do Mercado Financeiro

Fonte: 

 

(Artigo originalmente publicado no LinkedIn no dia 24 de março de 2021).

Cintia Cioffi - Mundo Financeiro

Cíntia CioffiProfissional que atua desde 2010 no setor bancário. Teve um carreira sólida com Gerente de uma grande instituição financeira. Atualmente é Analista de Investimentos na Brasilprev. Além disso, é pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Riscos pela FIA Business School.

Você também irá gostar

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.