Mundo Financeiro

No Curso CFP® você aprende: Tesouro Direto (parte 1)

Quem vai prestar o Exame de Certificação CFP® precisa estar antenado com o que é e como funciona o Tesouro Direto.

Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a Bolsa, conhecida atualmente como B3 para a venda de títulos públicos federais para Pessoas Físicas por meio da internet. O conceito que está por trás disso é o de “desintermediação financeira”.

A ideia é mais ou menos assim: “por que eu preciso pagar um gestor de um fundo para comprar LFT, LTN, NTN-F, NTN-B para mim se, na verdade, eu poderia ir diretamente no Tesouro Direto e comprar esses títulos, emprestando esses recursos para o Tesouro, ficar com esses títulos e receber os juros desse investimento?”

Partindo do pressuposto que os títulos públicos não são investimentos tão sofisticados, faz todo sentido fazer essa linha direta entre o Tesouro Nacional com o investidor que compra esses títulos.

Há os seguintes títulos:

LTN – Tesouro Prefixado

LFT – Tesouro Selic

NTN-F – Tesouro Prefixado com juros semestrais

NTN-B Principal – também chamada de Tesouro IPCA+

NTN-B – Tesouro IPCA+ com juros semestrais.

 

O mais interessante do Tesouro Direto é que ele possibilita ao investidor a liquidez diária, ou seja, é possível adquirir em qualquer dia útil da semana e vende-los também, à medida da necessidade.

E quanto aos valores que devem ser investidos? O valor mínimo de um investimento é de R$30,00 e, no máximo, R$ 1 milhão por mês por CPF.

 

No próximo artigo, vamos falar sobre como ocorrem essas negociações. Até lá!

Você também irá gostar

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.