Asset Allocation ou alocação de ativos é um tema muito discutido nos últimos tempos, mas poucos profissionais conhecem e realizam, de fato, com critério e com método.

No artigo de hoje você vai entender o que é asset allocation, bem como quais são as características essenciais para serem consideradas nesse processo.

Vamos lá?

Asset Allocation

Basicamente Asset Allocation é como se deve distribuir os recursos de forma adequada dentro de uma carteira de investimentos. Seja para uma pessoa,  família, empresa, fundo de investimentos etc.

Mas como definir essa distribuição?

Como realizar Asset Allocation?

Em primeiro lugar, para realizar o Asset Allocation, é fundamental olhar para as características do investidor em questão, passo também fundamental no Processo de Planejamento Financeiro.

Veja abaixo as principais características que devem ser observadas.

Asset Allocation: ativos para uma carteira

1. Tolerância ao risco.

Nesse momento, é preciso pensar: qual é o grau de tolerância ao risco do investidor? Ou seja, qual:

  • A capacidade dele de obter renda;
  • O patrimônio acumulado;
  • O momento ele se encontra no ciclo de vida. Ele está começando a carreira agora, está no meio da carreira ou está prestes a se apresentar?; e
  • O grau de conhecimento do mercado de investimentos.

Lembre-se de que todo mundo prefere menos risco, mas tomando menos risco o retorno dos investimentos vai ser menor.

2. Horizonte de tempo dos investimentos

É importantíssimo saber quando o investidor precisará dos recursos.

Por isso, não dá pra fazer uma alocação de recursos sem entender seu cliente. Ou seja, qual será a necessidade de grana que esse investidor terá no curto, médio e longo prazo.

Se o cara vai pagar a parcela das chaves do apê que ele comprou daqui a seis meses, ele precisa de um investimento que entregue essa grana pra ele no tempo certo.

Todo mundo prefere mais liquidez, mas investindo em ativos com mais liquidez o retorno esperado será menor.

3. Retorno esperado

Quando falamos em retorno esperado, esses dois fatores que eu falei são exatamente os que jogam contra o maior retorno esperado: o risco e a liquidez.

O investidor quer menor risco e maior liquidez, mas para obter mais retorno ele vai precisar correr mais risco correr mais risco e abrir mão dessa liquidez.

Investimento em Ações

Quando eu invisto no fundo de ações, eu sei que dia a dia o valor do meu patrimônio vai lá pra cima e pra baixo, mas que no longo prazo devo ter um bom resultado em termos de retorno, ou seja, estou correndo mais risco visando buscar um retorno superior.

Da mesma forma, eu posso optar por investir em um CDB com prazo de seis meses, mas se eu escolher um com vencimento de quatro anos, ou seja, se eu abrir mão dessa liquidez eu vou ter um retorno esperado maior.

A grande arte do Asset Allocation está em encontrar um ponto ótimo que satisfaça esse investidor do ponto de vista de risco e liquidez e entregue para ele um retorno significativo principalmente no médio e no longo prazo.

Pra fazer isso legal você tem que conhecer esse investidor. Se você está investindo seu próprio capital, show de bola, em geral a gente se conhece razoavelmente bem.

Mas, se você investe a grana do seu cliente, tem o dever de buscar essas informações de forma correta e montar uma carteira que seja adequada ao perfil dele.

Falando em investimentos, clique aqui e saiba mais sobre Riscos de Investimentos.

NOVIDADE

Asset Allocation: montando a carteira ótima

Saiba mais sobre o curso ao vivo e online sobre Asset Allocation, clicando aqui!

Um curso único no mercado que falará sobre produtos, processo de composição de carteiras, como driblar desafios do mercado financeiro e muito mais!

Atualizado em 16/2/2021

Felipe Garrán

Sou investidor no mercado financeiro há mais de 20 anos. Além disso, sou professor de finanças na FIA Business School, onde coordeno cursos de pós-graduação e MBA.
Fiz mestrado e doutorado na USP. Em quê? Advinha: Finanças.
Amo ensinar e sou apaixonado por novas tecnologias e métodos de ensino.

Ver todos os posts

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Felipe Garrán

Sou investidor no mercado financeiro há mais de 20 anos. Além disso, sou professor de finanças na FIA Business School, onde coordeno cursos de pós-graduação e MBA.
Fiz mestrado e doutorado na USP. Em quê? Advinha: Finanças.
Amo ensinar e sou apaixonado por novas tecnologias e métodos de ensino.