Mundo Financeiro

O que é a Certificação CGA?

Já se perguntou: o que é a certificação CGA? Para que serve? Para quem se destina? Ela vale a pena?

Continue sua leitura para saber tudo sobre essa certificação.

A Certificação CGA

Como profissional do mercado financeiro ou estudante, é provável que você conhece as principais certificações da Anbima. Ou seja, aquelas que todo mundo sempre comenta: CPA-10, CPA-20 e CEA. 

Mas, além dessas três, existe também a CGA.

No artigo de hoje, vamos falar sobre essa certificação e, além disso, vamos sobre as novas mudanças em relação a essa certificação.

1. O que é CGA?

A Certificação de Gestores Anbima é ideal para profissionais que trabalham com gestão de recursos de terceiros, ou seja, bancos de investimento, fundos de investimento etc. É voltada para profissionais que administram carteiras de títulos e valores mobiliários, com o poder de compra e venda de ativos referente à carteira.

Então, nota-se que é uma certificação diferente das demais oferecidas pela Anbima, que certificam profissionais que atuam com bancos de varejo e private banking

Dessa forma, CGA não é uma sequência da CEA, mas uma certificação independente, que testa outro tipo de conhecimento.

Segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), ela não é uma certificação obrigatória, mas é altamente recomendada aos colaboradores de organizações que adotam o Código de Certificação Anbima. Ou seja, profissionais de instituições públicas e autarquias e, também, para aqueles que pretendem construir uma carreira no mercado financeiro como gestor de carteiras

No entanto, por ser um selo de qualificação de prestígio, vale a pena também para quem atua em organizações financeiras que não adotam o código.

Resumindo, a CGA é uma certificação voltada para profissionais que atuam com bancos e fundos de investimentos (na faixa dos milhões ou bilhões), e exigida na maioria das instituições, mesmo não sendo considerada obrigatória segundo a CVM.

Então, se você se enxerga nesse perfil, vale a pena se dedicar aos estudos para conquistar a certificação CGA.

2. Como é a prova?

A “antiga” CGA

No dia 15/10/2020, a Anbima informou que, a partir de 2021, a CGA será 3 novas certificações. Essa alteração tem o objetivo de tornar o profissional certificado mais qualificado e preparado para os diferentes tipos de fundos que existem no mercado.

No entanto, de acordo com a instituição, “Os profissionais que já têm CGA terão suas certificações convertidas automaticamente para o novo modelo, passando a ser detentores das três novas certificações, uma vez que ela já os autorizava a atuar em ambos os mercados da nova CGA e da CGE.” 

Além disso, aqueles que preferirem o formato “antigo”, é possível realizar o primeiro módulo do exame de certificação CGA até março de 2021. Já o segundo módulo poderá ser realizado até julho de 2021.

Lembrando de que os dois módulos podem ser realizados no mesmo dia .

Nesse formato, cada módulo conta com 60 questões e 3 horas de duração. Além disso, para ser aprovado, é preciso acertar 70% em cada módulo. 

Vale ressaltar que, para profissionais que possuem o CFA, a prova é diferente, mais curta. São 50 questões em apenas um módulo e 2h30 de duração. Isso acontece porque as questões são voltadas apenas para o mercado brasileiro, e parte do pressuposto que o profissional já tem a qualificação necessária por causa do selo CFA.

A nova CGA

E quais são essas novas certificações?

  • CFG: a Certificação Anbima de Fundamentos em Gestão tem o foco na diferenciação profissional para iniciar ou acelerar a carreira no mercado de gestão de recursos.

São 60 questões, o candidato tem até 3 horas  para realizar o exame e para ser aprovado é preciso acertar, no mínimo, 70% da prova.

  • CGA: a Certificação de Gestores Anbima será destinada àqueles que fazem gestão de fundos de renda fixa, ações, multimercados, cambiais, entre outros.

São 45 questões, o candidato tem até 2h30  para realizar o exame e para ser aprovado é preciso acertar, no mínimo, 70% da prova.

  • CGE: a Certificação de Gestores Anbima para Fundos Estruturados vai habilitar profissionais a se tornarem gestores de fundos imobiliários (FII), fundos de investimento em participações (FIP) e fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC).

São 45 questões, o candidato tem até 2h30  para realizar o exame e para ser aprovado é preciso acertar, no mínimo, 70% da prova.

Nessa nova mudança, a CFG ou a CFA serão pré-requisitos para a CGA ou CGE.

Fizemos um conteúdo bem detalhado contando mais sobre essa mudança. É só clicar aqui para conferir.

3. O que é cobrado e quanto é a taxa de inscrição?

A “antiga” CGA

  • Módulo 1
  1. Métodos quantitativos
  2. Economia
  3. Análise de relatórios financeiros
  4. Finanças corporativas
  5. Mercados 
  6. Renda fixa
  7. Renda variável
  8. Derivativos
  9. Investimentos no exterior
  10. Ética
  11. Legislação e regulação
  • Módulo 2
  1. Teoria moderna de carteiras
  2. Modelos de precificação
  3. Finanças comportamentais 
  4. Processo de gestão e política de investimento
  5. Formação de expectativas, alocação de ativos e rebalanceamento
  6. Gestão de carteiras – Renda variável
  7. Gestão de carteiras – Renda fixa
  8. Investimentos alternativos
  9. Avaliação de desempenho
  10. Gestão de risco

A inscrição é feita pelo site da Anbima. A taxa de inscrição para candidatos vinculados a instituições associadas à Anbima é de R$ 573,00, ou R$ 688,00 para candidatos não vinculados. A taxa de inscrição é individual para cada módulo, e não altera para quem possui CFA.

A nova CGA

  • CFG
  1. Métodos quantitativos
  2. Economia
  3. Análise de relatórios financeiros
  4. Finanças corporativas
  5. Mercados e Instrumentos financeiros
  6. Teoria moderna de carteiras e modelos de precificação de ativos
  7. Finanças comportamentais
  8. Política de investimentos
  9. Alocação de ativos
  10. Novas tecnologias em finanças
  11. Ética e autoregulação
  12. Legislação e regulação
  • CGA
  1. Gestão de carteiras – Renda variável
  2. Gestão de carteiras – Renda fixa
  3. Investimentos no exterior
  4. Avaliação de desempenho
  5. Gestão de risco
  6. Legislação, regulação e tributação
  • CGE
  1. Investimentos imobiliários
  2. Private equity
  3. Securitização de recebíveis
  4. Fundos de índice
  5. Investimentos no exterior
  6. Avaliação de desempenho
  7. Gestão de risco
  8. Legislação, regulação e tributação

4. Como preparar para a prova?

Com um material de qualidade e aulas com profissionais especialistas, mestres, doutores e certificados pelas exigidas certificações do mercado financeiro.

Além disso, com um plano de ensino flexível que se encaixa com seu horário, para você se programar e manter o ritmo. E, por fim, com um grupo no WhatsApp para dar dicas sobre a prova e tirar todas as suas dúvidas.

E onde você encontra tudo isso?

Aqui, no Mundo Financeiro. Clique aqui e entre na lista de espera do nosso Preparatório CGA.

Preparatório CGA

Artigo escrito pelo colaborador Gabriel Maxwell

Atualizado em 23/10/2020

Você também irá gostar

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.